Navegando pelas águas dos relacionamentos

Pode ser difícil navegar pelos relacionamentos por causa de uma variável importante: a outra pessoa! Devido a essa grande incógnita, podemos estar seguindo alegremente nosso curso, fazendo o melhor possível, quando de repente nos encontramos em meio a uma crise de relacionamentos. Algumas das horas mais difíceis de nossa vida podem ser exatamente aquelas em temos problemas com as pessoas.
Qualquer tipo de relacionamento pode fazer-nos sofrer. Conflito com a mãe ou o pai, com um irmão ou uma irmã, com o marido ou esposa, com o filho ou a filha, com um parente, um amigo, um pastor, um chefe, um vizinho, o namorado, a namorada ou colaborador talvez nos provoque dor de estômago, um nó na garganta ou insônia. Isso acontece porque, quer reconheçamos ou não, os relacionamentos são importantes para cada indivíduo. Não é possível viver sem eles. Nem Deus quis isso para nós. Ele nunca planejou que vivêssemos completamente separadas de outras pessoas. Muito do que Deus quer realizar em nós ocorrerá à medida que crescemos nos relacionamentos com pessoas que ele coloca em nossa vida.
Todo relacionamento requer um sacrifício. Todo sacrifício tem recompensa. Se conhecêssemos as recompensas, não hesitaríamos em fazer os sacrifícios. Parte do sacrifício que devemos fazer em um relacionamento é confessar o orgulho e as necessidades. Precisamos ser amadas, cuidadas, valorizadas e respeitadas, mas essas necessidades jamais serão satisfeitas quando as exigirmos e, sim, quando abrirmos mão delas. Humilhar-nos e considerar as necessidades do outro superior às nossas pode ressuscitar um relacionamento que sofreu ferimentos mortais.
Manter-se no caminho certo em qualquer relacionamento significa livrar-se do excesso de bagagem pessoal. Falta de perdão e inveja são exemplos dessa bagagem. Essas atitudes negativas criam rupturas em qualquer relacionamento e ficam sempre evidentes, mesmo que os demais não reconheçam exatamente o que estão vendo. Os momentos críticos dos relacionamentos podem ser minimizados se nos humilharmos diante de Deus e pedirmos que ele nos guie, passo a passo, sempre que a inveja e a falta de perdão se fizerem presentes. Trata-se de um sacrifício que sempre resulta em grande recompensa.
A melhor maneira de proteger seus relacionamentos é certificar de que o principal deles é com o Senhor. Então peça que Deus seja o Senhor de todos os seus relacionamentos. Ore por eles e busque a mão reconciliatória de Deus onde for necessário. Embora possamos fazer muito ao oferecer nosso amor e perdão a outros, só Deus pode abrandar suficientemente o coração das pessoas para que possam recebê-los. Peça-lhe também isso.
Visando a aparar as arestas dos relacionamentos, creio que o melhor é lembrar duas coisas: liberte as pessoas e agarre-se a Deus. Essa perspectiva pode ajudá-la a superar as falhas da carne e eleva-la à esfera dos milagres. Quanto mais forte for seu relacionamento com o Senhor, tanto melhor serão os demais relacionamentos. Os momentos difíceis de qualquer relação podem fortalecer sua caminhada com o Senhor à medida que você se aproxima mais dele. Portanto torne Deus o foco de sua atenção e confie em que fará brilhar uma luz especial quando seu caminho cruzar o de outra pessoa.

Autora Stormie Omartian

Reações: 

0 Response to "Navegando pelas águas dos relacionamentos"

Postar um comentário